Apendicite

Apendicite é a inflamação do apêndice, um pequeno órgão linfático parecido com o dedo de uma luva, localizado no ceco, a primeira porção do intestino grosso. Possui aproximadamente 10 cm de comprimento e tem um fundo cego. Seu formato também lembra o de um verme, por isso também é chamado de apêndice vermiforme.

O apêndice parece ser um órgão sem função, o que é não totalmente errado. Contudo, a parede do apêndice contém tecido linfático e participa na produção de anticorpos. O apêndice parece ser apenas um resquício evolutivo, que se não é de todo inútil, também não parece fazer falta quando retirado cirurgicamente.

Provavelmente a doença inflamatória mais comum de todo o sistema digestivo seja a apendicite aguda, especialmente em crianças e adultos jovens, mas ocasionalmente também em adultos e idosos, quando muitas vezes o diagnóstico pode ser dificultado. Assim, a apendicite acomete normalmente pessoas jovens, começando na adolescência, a partir dos 10 anos, até os 25 anos de idade. Pode afetar tanto homens quanto mulheres. Não há distinção de sexo.

Os sintomas da apendicite podem incluir:

  • Dor no abdômen. É uma dor pontual, contínua e localizada, fraca no início, mas que vai aumentando de intensidade. Tipicamente, a dor se inicia na parte central do abdome, logo irradia-se para a região inferior direita, aonde se intensifica.
  • Perda de apetite.É um sintoma muito comum, mas inespecífico.
  • Náusea. Vômito
  • Constipação ou diarréia
  • Incapacidade de soltar gases
  • Febre baixa
  • Distensão (“barriga inchada”) abdominal.
    Nem todos com apendicite apresentam todos os sintomas. A dor piora quando a pessoa se move, respira profundamente, tosse ou espirra. Pessoas com esses sintomas devem procurar um médico imediatamente.

Quando a inflamação e a distensão levam à perfuração do apêndice, ocorre uma peritonite (inflamação do peritônio). O paciente com peritonite apresenta intensa dor e o abdômen costuma ficar duro como uma tábua. Na peritonite o doente sente dor com estímulos simples como pisar no chão, mudar de posição, tossir ou espirrar. O toque com a mão na região afetada costuma ser muito doloroso.

O diagnóstico é clínico, feito com base na história do paciente e na palpação do abdômen. Nas mulheres. como os sintomas das anexites (inflamação das trompas e ovários) também provocam dor do lado direito do abdômen, o médico precisa realizar o diagnóstico diferencial. Pacientes com peritonite costumam apresentar um número elevado de leucócitos no hemograma (leucocitose)

Os dois exames de imagem mais solicitados são a ultrassonografia abdominal (ecografia) e a tomografia computadorizada. A tomografia é muito útil em casos duvidosos, quando o diagnóstico está demorando ou naqueles com suspeitas de complicações (abscesso).

O tratamento da apendicite é cirúrgico.

Informe-se. A informação pode salvar sua vida!

Sparvoli

Sobre Antonio Sparvoli

Médico. Gastroenterologista. Mestrado e Doutorado. Professor Titular da Fundação Universidade Federal de Rio Grande.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s