Probióticos e prebióticos – benefícios

Os probióticos são um tipo de alimentos considerados funcionais. São microorganismos que, quando ingeridos, exercem efeitos benéficos para a saúde. Os alimentos prebióticos são alguns tipos de fibras alimentares, ou seja, carboidratos não digeríveis pelo nosso corpo.  Eles tem uma configuração molecular que os torna resistentes à ação das enzimas normalmente presentes em nosso aparelho digestivo.

Os benefícios à saúde do indivíduo atribuídos à ingestão de probióticos são:

  • controle da flora intestinal;
  • estabilização da flora intestinal após o uso de antibióticos;
  • promoção da resistência gastrintestinal à colonização por “micróbios do mal”;
  • diminuição da população das “bacterias do mal” através da produção de ácidos acético e lático, de bacteriocinas e de outros compostos antimicrobianos;
  • promoção da digestão da lactose em indivíduos intolerantes à lactose;
  • estimulação do sistema imune;
  • alívio da constipação;
  • aumento da absorção de minerais e produção de vitaminas.
  • Embora ainda não comprovados, outros efeitos atribuídos a essas culturas são a diminuição do risco de câncer de cólon e de doença cardiovascular.
  • a diminuição das concentrações plasmáticas de colesterol,
  • efeitos anti-hipertensivos,
  • redução da atividade ulcerativa de Helicobacter pylori.

Alguns efeitos atribuídos aos prebióticos são:

  • a modulação de funções fisiológicas chaves, como a absorção de cálcio e, possivelmente, o metabolismo lipídico,
  • a modulação da composição da microbiota intestinal, a qual exerce um papel primordial na fisiologia gastrintestinal,
  •  dução do risco de câncer de cólon.
  • controle da colite induzida por rotavirus e por Clostridium difficile,
  • prevenção de infecções urogenitais,
  • efeitos inibitórios sobre a mutagenicidade.
  • estímulo do sistema imunológico do hospedeiro,
  • redução nos níveis de bactérias patogênicas no intestino,
  • alívio da constipação,
  •  diminuição do risco de osteoporose resultante da absorção diminuída de minerais, particularmente o cálcio.
  • redução do risco de arteriosclerose, através da diminuição na síntese de triglicérides e ácidos graxos no fígado e diminuição do nível desses compostos no sangue.

Lembre-se: flora intestinal desbalanceada causa alterações como a diarréia associada a infecções ou ao tratamento por antibióticos, a alergia alimentar, o eczema atópico, doenças inflamatórias intestinais e artrite. Assim sendo, a correção das propriedades da sua flora intestinal normal, em desequilíbrio, constitui-se a base da terapia por probióticos.

Muitas coisas ainda precisam ser melhor conhecidas e comprovadas nesse fantástico mundo microbiano, invisível aos nossos olhos.  Contudo, as promessas oriundas desse conhecimento parecem muito interessantes!

Saúde.

Sparvoli

Sobre Antonio Sparvoli

Médico. Gastroenterologista. Mestrado e Doutorado. Professor Titular da Fundação Universidade Federal de Rio Grande.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s