Apneia do sono

Apneia do sono ou apneia noturna é uma alteração do sono com suspensão da respiração por obstrução parcial ou total das vias aéreas. Ocorre inibição da passagem de ar ao nível da garganta. Estes episódios de apneia podem durar alguns segundos. mas tempo suficiente para que uma ou mais respirações sejam perdidas. Após o intervalo da apneias é retomada a respiração normal. Esses episódios ocorrem várias vezes durante o sono. A hipopneia é uma redução de 30% a 50% desse fluxo de ar.

Nos últimos anos tornou-se claro que a apneia do sono, que desorganiza os movimentos respiratórios, é um dos principais distúrbios do sono. O número de apneia-hipopneia por hora de sono é dito índice de distúrbio respiratório. Individuos com índices maiores do que 5 são classificados como portadores de apneia do sono, contudo pessoas com índices de até 20 raramentem são sintomáticos.

Habitualmente, a faringe permanece aberta o suficiente para permitir a passagem do ar. Todavia, em algumas pessoas, essa região da garganta é mais estreita. Quando os músculos da faringe relaxam durante o sono, a respiração pode parar por um período, mais de 10 segundos, isso é a apneia. O ronco em pessoas com apneia obstrutiva do sono é causado pelo ar que tenta passar pela via aérea estreitada ou bloqueada. Felizmente, nem todas as pessoas que roncam têm apneia do sono.

Os sintomas: são ronco, interrupção da respiração e sono excessivo durante o dia. O ronco pode ser muito alto e atrapalhar o sono dos outros. Pessoas com sintomas mais graves podem acordar com sensação de sufocamento, refluxo esofágico, boca seca e espasmo da laringe. Podem ter cansaço, dificuldade de permanecer acordado, irritabilidade fácil, depressão, redução da libido, impotência sexual e dor de cabeça matinal – sintoma muito comum.

Aumentam as chances do indivíduo ter a apneia:

  • Homem
  • Avançar dos anos
  • Obesidade central
  • Uso de drogas miorrelaxantes, sedativos
  • Uso de álcool
  • Aumento da circunferência do pescoço
  • Tabagismo (ativo e passivo).

A mortalidade entre os portadores da síndrome é mais alta entre os que não recebem tratamento adequado ou entre aqueles que apenas roncam sem ter episodios de apneia. A apneia do sono está associada a aumento na incidência de infartos do miocárdio, derrames cerebrais e arritmias cardíacas. A hipertensão arterial (pressão alta) é encontrada em 70% a 90% dos que sofrem de apneia do sono.

Conheça seu corpo e como ele funciona. Isso lhe trará saúde.

Sparvoli

O diagnóstico da apneia do sono é feito através de polissonografia. Fale com o seu médico.

Sobre Antonio Sparvoli

Médico. Gastroenterologista. Mestrado e Doutorado. Professor Titular da Fundação Universidade Federal de Rio Grande.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s