Aveia – a magia das betaglucanas

A aveia é um cereal nutricionalmente rico. Possui muitos elementos fundamentais para se ter uma dieta alimentar saudável, como cálcio, ferro, carboidratos, vitaminas, minerais e, especialmente, as fibras. Por ser de fácil preparo e de muitas combinações alimentares já que não possui um sabor relevante, a aveia tem ainda esse apelo natural: as fibras.

Já as beta-glucanas são polissacarídeos não amiláceos que fazem parte da fração solúvel da fibra alimentar, ocorrem nos cereais, principalmente cevada e aveia.  A concentração de fibra alimentar solúvel no grão de aveia é relativamente maior quando comparado aos demais cereais. A fibra alimentar total de aveia varia entre 7,1 e 12,1%. No farelo, o conteúdo de fibra alimentar é de 15 a 19%. Deste total, 34 a 48% são fibras solúveis e o restante insolúveis.  Já o teor de betaglucanas na aveia é variável, dependendo do cultivo e é influenciado por fatores genéticos e ambientais. A aveia integral sem casca contém 3,41 a 4,82%; o farelo 5,81 a 8,89%; o farelo comercialmente disponível 7 a 10%, o farelo de aveia enriquecido 10,9 a 16,6%; e a goma de aveia aproximadamente 78%.

O mecanismo do efeito benéfico da beta-glucana, é que esta, assim como as fibras em geral, não é digerida pelas nossas enzimas não sendo, portanto, absorvida. Permanecendo na luz intestinal, devido à sua solubilidade, incorpora bastante água em sua estrutura e forma um gel viscoso característico. Este gel interfere na absorção de nutrientes, como o colesterol e carboidratos.  Sua magia que reside na ação hipocolesterolêmica (diminuição do colesterol) é fortemente apoiada por estudos científicos, que relacionam a ingestão da beta-glucana a uma efetiva diminuição da quantidade de colesterol total circulante e também da fração que circula nas LDLs (Lipoproteínas de Baixa Densidade). Assim, o consumo regular de aveia pode estar relacionado com a diminuição da formação de placas de gorduras (ateroma), que causam doenças cardiovasculares.

O tipo de aveia que possui maior quantidade de beta-glucanas é o farelo de aveia, seguido dos flocos e farinha de aveia. Existem ainda outros alimentos que possuem beta-glucanas, como soja cozida, feijão branco cozido, grão de bico cozido, brócolis, farinha de milho, manga e trigo para quibe.

Mas atenção: a aveia, assim como o trigo, a cevada, o malte e o centeio, possui o glúten em sua composição, desta forma, não deve ser consumido por portadores da doença celíaca.

Bom apetite e saúde!

Sparvoli

Sobre Antonio Sparvoli

Médico. Gastroenterologista. Mestrado e Doutorado. Professor Titular da Fundação Universidade Federal de Rio Grande.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s