Meningites

A meningite sempre causa muita preocupação as pessoas e às autoridades de saúde do pais.  Isso ocorre devido ao acontecimento de graves epidemias, com pesado impacto nas comunidades afetadas. A meningite pode ser causada por infecções por vírus, bactérias ou outros micro-organismos e, menos comumente, por certas drogas. A meningite pode pôr em risco a vida em função da proximidade da inflamação com órgãos nobres do sistema nervoso central; por isso essa condição é classificada como uma emergência médica.

Já a meningite bacteriana aguda é um processo inflamatório que envolve a as meninges (aracnóide, pia-máter) e o líquor cefalorraquidiano (LCR), decorrente da invasão do sistema nervoso central por bactérias. É uma infecção associada a muitas complicações e risco de morte tanto em adultos como em crianças. O risco do desenvolvimento de complicações ou óbito está relacionado à idade, condições clínicas prévias, o agente causal, gravidade da infecção e o retardo na instituição da terapia adequada – lembre-se que é considerada uma emergência! A demora no atendimento tem sido associada a um pior prognóstico.

Considera-se como caso suspeito de meningite bacteriana aguda, todo paciente com quadro de febre alta, de inicio súbito, vômitos, sem outro foco infeccioso aparente, acompanhado de cefaléia (dor de cabeça) intensa, rigidez de nuca, sonolência, torpor, irritação, diminuição da sucção em lactentes, abaulamento de fontanela e convulsões.  Às vezes, aparecem manchas vermelhas espalhadas pelo corpo. Esse é um sinal de que a infecção está se alastrando rapidamente pelo sangue e o risco de septicemia aumenta muito.  Nas meningites virais, o quadro é mais leve.

Principais bactérias

As meningites bacterianas agudas têm sua etiologia baseada na faixa etária e na porta de entrada do agente, mas cabe salientar que é mais comumente causada por bactérias como  Neisseria meningitidis, Streptococcus pneumoniae e Haemophilus influenzae, estes são responsáveis por mais de 90% dos casos. Estes microrganismos transmitem-se de pessoa a pessoa por meio de gotículas ou pelas mucosas, no contato mais próximo.

Considerando a alta letalidade (mortalidade) e as seqüelas associadas às meningites bacterianas agudas deve-se instituir o uso empírico de antibióticos (tratamento sem diagnóstico exato) imediatamente, antes mesmo de os resultados da punção lombar e o exame do líquor serem conhecidos. Em algumas situações, corticóides podem ser usados para prevenir complicações da inflamação hiperativa. A meningite pode ter complicações sérias a longo prazo como epilepsia, hidrocefalia e déficit cognitivo, especialmente se não tratada rapidamente.

Algumas formas de meningite, como aquelas associadas com meningococo, Haemophilus influenzae tipo B, pneumococo ou vírus da caxumba, podem ser prevenidas através da vacinação. A partir de 2011, a vacina conjugada contra meningite por meningococo C  faz parte do Calendário Básico de Imunização.

A prevenção é o melhor remédio. Sempre.

Sparvoli

 

 

Sobre Antonio Sparvoli

Médico. Gastroenterologista. Mestrado e Doutorado. Professor Titular da Fundação Universidade Federal de Rio Grande.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

2 respostas a Meningites

  1. Francine diz:

    “Ser médico é dedicar uma vida à serviço de outra, tendo nas mãos o mais lindo ofício de poder trazer ao mundo um dos seus”… (: Parabéns pelos belos 30 anos de dedicação a saúde!!!!

    Ser Médico…
    aliviar sofrimentos
    penetrar fundo
    nos tormentos da humanidade.

    Ser Médico…
    dar de si profundamente
    sentir a dor do doente
    compreender a sua sorte
    é se doar por inteiro
    é romper o nevoeiro
    que separa vida e morte.

    Ser Médico…
    uma vida a dar vidas
    a mão que cura feridas
    a palavra que conforta
    o olhar compadecido
    ele é sempre o amigo
    que ao bater lhe abre a porta.

    Ser Médico…
    é infundir confiança
    ao velho, ao jovem, à criança
    é ser de Deus o instrumento
    dando alívio à dor alheia
    tecer fibra a fibra uma teia
    seguindo o seu juramento.

    Ser Médico…
    é ter na mão a leveza
    agir com delicadeza
    é ver em cada criatura
    o pai, a mãe, o filho, o parente
    para que seu trabalho apresente o dom verdadeiro da cura.

    Ser Médico…
    é empreender com carinho
    conhecer e traçar seu caminho
    sem jamais pensar no tédio
    comprimidos não resolvem
    nem diplomas se devolvem…
    é uma paixão sem remédio!!!
    (Drª. Murita L. da Cruz Rios Sampaio)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s