Álcool – o vilão bonitinho

A edição comemorativa dos 25 anos da revista Superinteressante traz, como de hábito, várias matérias úteis. Uma que me despertou particular interesse, por sua concisão e detalhes importantes foi: “Cabeça de bêbado tem dono”. O criativo e atrevido título faz menção a outra coisa de bêbado que não tem dono… e já serve de alerta para quem deseja se atirar nessa jornada “alegre” mas muito perigosa e, várias vezes, sem volta. Vou citar alguns trechos da matéria:

“(você) pede um balde suado de cerveja. O primeiro gole desce lindo. E o segundo consegue ser ainda melhor. É, beber é bom.” Quando você quiser ensinar seu filho sobre os malefícios de um vício, fale a verdade e com exatidão. Realmente, muitas pessoas acham prazeiroso ou são ensinadas, doutrinadas, estimuladas a achar que aquele líquido é bom. Quando se engole a bebida alcoólica, não se está ingerindo apenas o etanol, você foi doutrinado a achar que está consumindo o charme, a beleza, a importância, e a sensualidade de todas os indivíduos que tornam as propagandas de álcool tão fantásticas. Voltemos à matéria da Superinteressante:

Exagerar no álcool é terrível. Morrer por intoxicação alcoólica é 100 vezes mais comum do que por maconha.” Você sabia, que a maconha está associada à esquizofrenia? Além disso, o consumo da droga torna o risco de câncer de pulmão 20 vezes maior. Evidências científicas apontam relações entre o consumo de cannabis e doenças como bronquite aguda, tuberculose e câncer de pulmão. Parte das razões para isso, dizem especialistas, reside no fato de que consumidores de maconha dão tragos maiores e os seguram por mais tempo que fumantes de cigarros de tabaco. Isso significa uma inalação quatro vezes maior de alcatrão e cinco vezes maior de monóxido de carbono. Bem, apesar disso tudo, o álcool consegue ser pior do que a subestimada maconha! Segue a matéria da Superinteressante:

A Organização Mundial de Saúde diz que 4% das mortes no mundo são causadas pelo álcool, seja em brigas ou acidentes.” Bem, acho que, por enquanto, não preciso dizer mais nada. Está bem, vou dizer: uma de cada vinte cinco mortes em todo o mundo são culpa direta do álcool, tenha dó, meu irmão! As mortes indiretas – aumento na incidência de vários cânceres – são mais difíceis de quantificar.

Mais um dado: 12,3 % da população brasileira é dependente de bebidas alcóolicas, contra “apenas” 9% de tabaco e 1% de maconha (Fonte: Ministério da Saúde).

Sparvoli

Sobre Antonio Sparvoli

Médico. Gastroenterologista. Mestrado e Doutorado. Professor Titular da Fundação Universidade Federal de Rio Grande.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s