Ácido acetilsalicílico – aspirina

O  ácido acetilsalicílico (em latim acidum acetylsalicylicum) é um fármaco do grupo dos anti-inflamatórios não-esteroides (AINE), utilizado como anti-inflamatório, antipirético, analgésico e também como antiplaquetario.

São consideradas indicações do uso de ácido acetilsalicílico:

  • Síndrome coronariana aguda
  • Infarto agudo do miocárdio com elevação de segmento ST ou não-Q
  • Prevenção do tromboembolismo cerebral ou de ataques isquêmicos transitórios
  • Trombose cerebral
  • Dismenorreia
  • Febre (contraindicada em crianças, especialmente em quadros virais, pelo risco de Síndrome de Reye)
  • Dor de cabeça
  • Prevenção primária ou secundária do infarto miocárdico, incluindo prevenção pós angioplastia
  • Osteoartrite
  • Dor
  • Tratamento da artrite reumatoide, osteoartrite ou artrose
  • Febre reumática
  • Aterosclerose
  • Profilaxia da demência multi-infarto

Exceto em circunstâncias especiais, esta medicação não deve ser usada quando os seguintes problemas médicos existem:

  • É totalmente contra-indicado em casos de suspeita de dengue pois pode levar ao quadro de hemorragia fatal.
  • Úlcera péptica activa;
  • Hemofilia ou outros problemas com hemorragias, incluindo perturbações na coagulação ou na função plaquetária;
  • Pólipos nasais associados com asma, induzida ou exacerbada pelo ácido acetilsalicílico;
  • Trombocitopenia (devido ao risco aumentado de hemorragia).

Efeitos clinicamente úteis:

  • Diminui a febre mas não tem efeito na temperatura normal.
  • Diminui a resposta inflamatória.
  • Diminui a dor inflamatória de intensidade baixa a moderada, mas é pouco eficaz na dor forte.
  • É um excelente inibidor da agregação das plaquetas, o primeiro passo na formação dos trombos arteriais. Combate a formação de trombos nas artérias e previne tromboses arteriais, frequentes causas de infarto do miocárdio e AVCs. Essa é uma das principais utilidades desse medicamento em nossos dias.
  • Há estudos epidemiológicos que sugerem que a longo prazo diminui a prevalência de câncer do cólon.   Especialistas europeus reunidos no European Society for Medical Oncology 2012 Congress (ESMO 2012) estão discutindo o uso da aspirina na prevenção do câncer.

    O medicamento pode também auxiliar na prevenção do câncer. Um crescente corpo de evidências sugere que o medicamento pode reduzir as chances de um indivíduo desenvolver câncer colorretal e talvez outras doenças malignas, mas se essa evidência é forte o suficiente para compensar os riscos de prescrever o remédio a milhões de pessoas saudáveis é o tema de polêmica e está sendo debatido no ESMO 2012.

Sparvoli

 

Sobre Antonio Sparvoli

Médico. Gastroenterologista. Mestrado e Doutorado. Professor Titular da Fundação Universidade Federal de Rio Grande.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s