Ansiedade (3)

Os Transtornos de Ansiedade apresentam seis tipos.  Vejamos mais um tipo, muito importante e frequente:

  • Transtorno de ansiedade generalizado (TAG): caracteriza-se por um estado de ansiedade excessiva persistente que não depende do contexto e é desproporcional aos fatos que ocorrem na maior parte dos dias por um período de pelo menos 6 meses. A pessoa tem tendência a se preocupar continuamente.  Nas mais diversas situações, os pensamentos se voltam para todas as possíveis consequências negativas e as maneiras de impedi-las.  A maioria das pessoas que sofre dessa doença acredita que ela é um traço de sua personalidade e que o excesso de preocupação é indispensável para sua sobrevivência. Eles antecipam desastres e estão superpreocupados com questões da vida, como saúde, dinheiro, morte, problemas de família, problemas sociais, etc.   Além disso, se  exige mais 3 dentre os seguintes sintomas para o diagnóstico em adultos ou apenas mais um no caso de crianças:
    1. Inquietação ou sensação de estar com os nervos à flor da pele
    2. Fadiga
    3. Dificuldade em concentrar-se ou sensações de “branco” na mente
    4. Irritabilidade
    5. Tensão muscular
    6. Perturbação do sono (dificuldades em conciliar ou manter o sono, ou sono insatisfatório e inquieto).
  • Os principais sintomas do Transtorno de Ansiedade Generalizado são:
    • “Paranoia”;
    • Boca seca;
    • Mãos ou pés úmidos;
    • Enjôos;
    • Diarréia;
    • Aumento da freqüência urinária;
    • Sudorese excessiva;
    • Dificuldade de engolir;
    • Assustar-se com facilidade e de forma mais intensa;
    • Sintomas depressivos.

    As pessoas com TAG muitas vezes apresentam uma variedade de sintomas físicos, incluindo fadiga, agitação, dores de cabeça, náusea, amortecimentos e formigamentos nas mãos e nos pés, tensão muscular, dores musculares, dificuldade de engolir, falta de ar/dificuldade para respirar, tremores, irritabilidade, transpiração/sudação excessiva, insônia, ondas de calor, coceiras/vermelhidão da pele, dificuldade em se relacionar com outras pessoas ou isolamento social, dificuldade de concentração, desorientação e perda da memória dificultando assim a vida social e operacional do paciente em alguns casos.  Muitas vezes, essas pessoas tem certeza que tem uma doença física, orgânica, muito séria. Isso lhe amplifica a ansiedade, com possível agravamento da sintomatologia, se estabelecendo um “circulo vicioso.”

    Procure seu médico de confiança, faça um diagnóstico preciso, exato e afaste as doenças físicas.    Não aceite como “normal” ou do seu “temperamento”, algo que pode ser tratado, com uma melhora significativa de sua qualidade de vida!

    Sparvoli

Sobre Antonio Sparvoli

Médico. Gastroenterologista. Mestrado e Doutorado. Professor Titular da Fundação Universidade Federal de Rio Grande.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s