Hepatite C – genótipos

Um exame que causa uma razoável confusão é a determinação do genótipo do vírus C.   Os genótipos do vírus C representam a variabilidade genética do vírus.  Esse vírus apresenta uma elevada taxa de mutações espontâneas, que resulta em grande variabilidade genética. Uma maneira muito simplificada, mas útil, é comparar genótipos com as raças.  Costumo explicar que, assim como os seres humanos tem raças – branca, negra, amarela – assim também o vírus C tem suas raças (genótipos) que designamos por números: 1, 2, 3 etc…    No mundo foram descritos seis genótipos principais, designados de 1 a 6, os quais foram ainda subdivididos em subtipos (1a; 1b; 2a; 2b, etc). No final mais de 100 (!) subtipos foram descritos. Existe uma considerável variação nos genótipos do vírus C dependendo do país e mesmo das regiões consideradas naquele país.  Nos Estados Unidos, cerca de 70% são genótipo 1 e os outros 30% são genótipos 2 ou 3.  No Brasil, o genótipo 1, subtipo 1b, é o mais comum, seguido do genótipo 3, predominante no sul do Brasil. O genótipo 1 está associado à pior resposta ao tratamento antiviral do que os genótipos 2 e 3. O genótipo 3 predomina em jovens cuja via de transmissão principal é o uso de drogas por via intravenosa.

Sparvoli

 

Sobre Antonio Sparvoli

Médico. Gastroenterologista. Mestrado e Doutorado. Professor Titular da Fundação Universidade Federal de Rio Grande.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s